PUBLICIDADE
Saúde
Noticia de: 25 de Outubro de 2017 - 07:52
Asma é uma das principais causas de internação entre crianças e idosos
Especialista em alergias dá dicas de como lidar melhor com a doença que assombra os brasileiros durante todo o ano


 
 

Asma é uma das principais causas de internação entre crianças e idosos

 
 

A asma é uma inflamação crônica das vias aéreas, que provoca estreitamento da passagem do ar nos pulmões, dificultando a respiração. Ela pode aparecer em pessoas de qualquer idade e, também, em qualquer época do ano. Segundo a Dra. Priscila Moraes, pediatra especialista em alergia e imunologia do Docway, a asma é uma das importantes causas de internação, principalmente em crianças e idosos. A asma não tem cura, mas tem controle, permitindo vida normal a seus portadores. 

 A especialista explica que a asma pode ser alérgica ou não, dependendo do tipo de resposta imunológica. “No caso da asma alérgica, o organismo cria anticorpos contra os agentes agressores, chamados alérgenos, os mais comuns são os ácaros (presentes na poeira caseira), cães, gatos e os fungos. Já a asma não alérgica também pode ser provocada por estímulos externos, como fumaças e cheiros fortes, mas por fatores irritativos, sem criar anticorpos contra isso”, detalha.

 A asma pode ter manifestações diferentes nas crianças e nos adultos, pela diferença anatômica, pela exposição aos agentes externos e pela própria imunidade.  Assim, a asma nas crianças tem como principal fator desencadeante as infecções das vias aéreas, e tendem a melhorar com a idade, já que vão ficando mais resistentes a infecções. No caso dos idosos, o pulmão pode estar comprometido com outros agentes agressores ao longo da vida, como a poluição, fumaça de cigarro, e a asma tende a ser mais persistente, piorando com estímulos irritativos.

 “Os principais sintomas da asma são chiado, tosse, falta de ar, aperto no peito e cansaço aos esforços. Esses sintomas variam de intensidade ao longo do tempo, dependendo de fatores desencadeantes. Um importante aliado no combate a asma são os broncodilatadores, popularmente chamados de ‘bombinhas’, que ajudam na melhora desses sintomas após o uso”, comenta a Dra. Priscila. Atenção especial deve ser dada também aos idosos, que não percebem bem esses sintomas, pois acreditam ser normais para a idade. Crises de tosse, falta de ar aos menores esforços e despertares noturnos são sinais de alerta. Já as crianças apresentam alguns sinais, que podem ser identificados antes que se agravem, para que o atendimento adequado possa ser feito o mais rápido possível. “Crianças com sinais de desconforto respiratório apresentam batimento da asa do nariz, retração muscular nas costelas, aumento da frequência respiratória e chiado no peito. Quando conseguimos identificar o início da crise, podemos evitar o agravamento dela”, explica a médica.

 Ainda segundo a médica, existem os tratamentos de alívio, que são aqueles de resgate no momento da crise, e os tratamentos a longo prazo, para reduzirem a inflamação dos pulmões. “Para alívio, são usados broncodilatadores de curta ação, que agem no momento da crise, como o salbutamol e o fenoterol. Dependendo da intensidade e frequência dos sintomas, é importante o tratamento com corticoides inalatórios, associados ou não a broncodilatadores de ação longa. Como exemplo, temos a budesonida e a fluticasona, que podem vir associados com formoterol ou salmeterol. Outros tratamentos também estão disponíveis, para casos mais graves”. Para os casos de asma alérgica, também existe a possibilidade de fazer imunoterapia, que é a "vacina" contra alérgenos, indicada após testes comprovatórios da alergia. “É sempre importante avaliação médica para determinar qual cada caso”, complementa a especialista.

 Para amenizar os sintomas da asma, é fundamental seguir algumas dicas básicas, como manter-se longe do cigarro. “Se você fuma e seu filho tem asma, evite fumar perto da criança ou dentro de casa, se você tem certa idade e sofre com ela, é bom parar de fumar. Mantenha a casa limpa, para afastar possíveis desencadeantes das crises. Boa ventilação e exposição solar ajudam a renovar o ar e diminuir a chance de ter mofo no ambiente. Prefira passar pano úmido invés de varrer a casa. Aspiradores de pó com filtro de água ou filtro HEPA são melhores para reter ácaros”, sugere a médica. Outro ponto importante é manter a vacinação em dia, pois pessoas com asma tendem a apresentar mais complicações.

Fonte - Bruna Bozza
P+G Comunicação Integrada


principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
15/08/2018 - 09:52   Médico alerta para a prevenção de doenças do homem o ano todo
06/08/2018 - 09:51  Campanha de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo começa hoje
06/08/2018 - 08:51  Baixa cobertura vacinal deixa Estado em alerta
26/07/2018 - 11:31  Cinco cidades de MS estão em alerta para baixa imunização contra poliomielite
26/07/2018 - 11:08  Brasil tem 822 casos confirmados de sarampo; 3.831 são investigados
24/07/2018 - 10:23  Brasileiro sabe pouco sobre diabetes, aponta pesquisa Datafolha
23/07/2018 - 10:15  Rede pública vai distribuir repelente às grávidas contra o Aedes aegypti
07/06/2018 - 10:53  Doença de Pompe: pouco conhecida e muito perigosa
07/06/2018 - 10:47  Estado tem 15 mortes por gripe e 505 casos sob investigação
25/05/2018 - 12:07  Prefeitura de Dois Irmãos do Buriti realiza ‘Audiência Publica do Fundo Municipal de Saúde’.
18/05/2018 - 09:31  Sobe para 10 número de mortes por gripe em Mato Grosso do Sul
10/05/2018 - 15:07  Em cinco meses, mortes por gripe superam total do ano passado
10/05/2018 - 12:43  Estado já imunizou 10% do público-alvo contra a gripe
24/04/2018 - 10:53  Trabalhador rural morre de influenza em Aquidauana
24/04/2018 - 09:36  Estado tem três mortes sob análise e 11 casos confirmados de gripe
23/04/2018 - 12:39  Campanha de vacinação contra a gripe começa nesta segunda-feira .
17/04/2018 - 09:38  Desenvolvido o primeiro medicamento com potencial para curar diabetes tipo 1
16/04/2018 - 09:05  Entenda os diferentes tipos de vírus da gripe que circulam pelo Brasil
13/04/2018 - 10:59  MS tem meta de vacinar 663 mil durante “ Campanha Nacional contra Influenza”
03/04/2018 - 11:15  Após MS ser 4º do país, número de doações de órgãos volta a cair
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE