PUBLICIDADE
Economia
Noticia de: 02 de Janeiro de 2018 - 14:41
Balança comercial em 2017 tem superávit de US$ 67 bilhões, o maior em 29 anos



 
 

A babalança comercial brasileira registrou superávit (exportações maiores que importações) de US$ 67 bilhões em todo ano de 2017, informou nesta terça-feira (2) o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Segundo a pasta, trata-se do melhor resultado para um ano fechado desde o início da série histórica do ministério, em 1989, ou seja, em 29 anos.

No ano anterior, em 2016, a balança também registrou superávit, mas menor: US$ 47,68 bilhões. Esse valor representava o recorde histórico até então.

"As exportações cresceram [em 2017] após cinco anos. É algo realmente de se ressaltar. O aumento de 18,5% mostra esse crescimento extraordinário. Em valores absolutos, tivemos um crescimento de US$ 32,5 bilhões. Desempenho decorrente tanto do crescimento do volume de exportações quanto do preço. Já as importações tiveram seu primeiro crescimento após três anos", afirmou o ministro da Indústria, Marcos Pereira.

Balança Comercial

Saldo anual, em US$ bilhões

Fonte: MDIC

Exportações e importações

O saldo comercial recorde de 2017 se deve a um crescimento maior das vendas externas, do que das importações: que registraram uma alta menor.

Em todo ano passado, as exportações somaram US$ 217,74 bilhões, com média diária de US$ 874 milhões (alta de 18,5% sobre o mesmo período do ano passado). É o maior valor desde 2014, ou seja, em três anos.

O valor registrado nas exportações, por sua vez, é resultado de dois fatores: quantidade exportada e o preço do produto. Os números oficiais mostram que as vendas externas subiram mais por conta do preço do que pelo volume de vendas.

Em todo ano de 2017, a quantidade de produtos exportados subiu 7,6% na comparação com o ano passado, mas o preço dos produtos brasileiros ficou maior: 10,1%.

Cresceram, no último ano, as vendas ao exterior de produtos básicos (+28,7%), de manufaturados (+9,4%), e também as exportações de produtos semimanufaturados (+13,3%).

Já as importações somaram US$ 150,74 bilhões em 2017, ou US$ 605 milhões por dia útil (aumento de 10,5% em relação ao mesmo período de 2016). Trata-se do maior valor para as importações desde 2015, isto é, em dois anos.

Avançaram as compras do exterior de combustíveis e lubrificantes (+42,8%), de bens intermediários (+11,2%) e também de bens de consumo (+7,9%), mas recuaram as importações de máquinas e equipamentos para produção (-11,4%)

Compradores e vendedores

Segundo os números do governo, a China continuou sendo o maior comprador de produtos brasileiros no ano passado. Em 2017, o país asiático comprou US$ 50,2 bilhões do Brasil, seguida pelos Estados Unidos (US$ 26,9 bilhões), pela Argentina (US$ 17,6 bilhões) e pelos Países Baixos (US$ 9,3 bilhões).

Ao mesmo tempo, a China também foi o maior vendedor para o Brasil. No ano pasasdo, as importações do país asiático somaram US$ 27,9 bilhões, seguido dos Estados Unidos (US$ 24,8 bilhões), da Argentina (US$ 9,4 bilhões) e da Alemanha (US$ 9,2 bilhões).

Estimativas do mercado e do BC para 2018

A expectativa do mercado financeiro para este ano é de piora do saldo comercial, segundo pesquisa realizada pelo Banco Central com mais de 100 instituições financeiras na semana passada.

A previsão dos analistas dos bancos é de um superávit de US$ 52,5 bilhões nas transações comerciais do país com o exterior para 2016.

O Banco Central, por sua vez, prevê um superávit da balança comercial de US$ 59 bilhões para este ano, com exportações em US$ 225 bilhões e compras do exterior no valor de US$ 166 bilhões.

principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
22/01/2018 - 10:21  Estado muda regras para aumentar a arrecadação
22/01/2018 - 10:15  FGV prevê crescimento de 0,5 ponto no Índice de Confiança da Indústria
17/01/2018 - 12:00  Pré-custeio da safra 2018/19 deve chegar a R$ 12 bilhões
17/01/2018 - 11:00  Setor de mineração reage e movimenta R$ 1 bilhão em MS
15/01/2018 - 10:00  'Prévia' do PIB do Banco Central registra crescimento de 0,49% em novembro
15/01/2018 - 09:46  Setor de caminhões reage em 2017, mas fábricas operam com 25% da capacidade
15/01/2018 - 08:50  MS mira em estrangeiros para viabilizar fábrica de celulose
12/01/2018 - 10:00  MS renegociou R$ 3,6 bilhões em dívidas com União e BNDES
12/01/2018 - 09:26  Venda de materiais de construção aumenta 5% no Estado
11/01/2018 - 13:27  Sem correção, defasagem da tabela do IR sobe para 88,4%
10/01/2018 - 14:15  Se gasolina, gás e luz só sobem, como a inflação foi tão baixa?
09/01/2018 - 10:00  Indústria nacional quer aumentar rendimento do combustível
08/01/2018 - 11:00  Mercado reduz previsão do PIB e de inflação de 2018, divulga BC
08/01/2018 - 10:30  A técnica japonesa para economizar 800 reais por mês e não se privar de nada
08/01/2018 - 10:00  Receita abre consultas a lote residual do Imposto de Renda
05/01/2018 - 15:43  Exportações de carne retomam crescimento que chega a 14%
05/01/2018 - 13:00  Produção de veículos sobe 25,2% no Brasil em 2017, diz Anfavea
05/01/2018 - 12:00  Produção de veículos sobe 25,2% no Brasil em 2017, diz Anfavea
05/01/2018 - 10:01  Impulsionada pela soja, exportação de MS soma US$ 4,7 bilhões em 2017
05/01/2018 - 10:00  Fundo de equilíbrio fiscal atraiu 638 empresas no Estado
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE