PUBLICIDADE
Economia
Noticia de: 05 de Janeiro de 2018 - 15:43
Exportações de carne retomam crescimento que chega a 14%



 
 

As exportações brasileiras de carne bovina in natura continuam a registrar o bom momento dos últimos três meses de 2017. O volume de exportações foi 10% maior e a receita 14%, em relação ao mesmo período do ano anterior. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (5), pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior  (MDIC),  através da SECEX/DECEX.

Segundo informações da Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), os principais responsáveis pela recuperação das vendas foram o mercado chinês que comprou cerca de 300 mil toneladas anuais, Egito, Rússia e Arábia Saudita. 

Somente em dezembro, a receita nacional com vendas internacionais obteve US$ 559,2 milhões. contra US$ 439,3 milhões no mesmo período, ou seja: um aumento de 25% na movimentação e de 27% na obtenção de divisas.

"Baixas importantes aconteceram somente nos países que compõem a União Europeia e a Venezuela. Acreditamos que 2018 será um período de continuidade das boas condições de mercao para carne bovina brasileira com expectativa de chegarmos próximos ao último recorde nacional, no qual foram exportados 1,5 milhão de toneladas", destaca a associação.

MELHORES CLIENTES

O maior cliente do país foi a China que, embora o governo local venha tentando evitar a triangulação existente na entrada da carne no país por Hong Kong, tem aumentando suas compras ano a ano, tanto na cidade estado como pelo continente.

 Em 2017 a China comprou o total de 567.638 toneladas de carne bovina brasileira, o que significa uma participação de 38,2% na movimentação do produto pelo Brasil. Vieram a seguir o Egito (153.660 toneladas); a Rússia (151.645 toneladas) e o Irã (133.192 toneladas).

Segundo a entidade, o setor poderá crescer um pouco acima de 10% em 2018 com a possibilidade de os Estados Unidos voltarem a adquirir carne bovina in natura, proibida desder a metade de 2017, do contínuo crescimento chinês e uma melhora nas relações com a União Europeia, além de início de movimentação com alguns novos mercados no sudeste asiático.

principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
22/01/2018 - 10:21  Estado muda regras para aumentar a arrecadação
22/01/2018 - 10:15  FGV prevê crescimento de 0,5 ponto no Índice de Confiança da Indústria
17/01/2018 - 12:00  Pré-custeio da safra 2018/19 deve chegar a R$ 12 bilhões
17/01/2018 - 11:00  Setor de mineração reage e movimenta R$ 1 bilhão em MS
15/01/2018 - 10:00  'Prévia' do PIB do Banco Central registra crescimento de 0,49% em novembro
15/01/2018 - 09:46  Setor de caminhões reage em 2017, mas fábricas operam com 25% da capacidade
15/01/2018 - 08:50  MS mira em estrangeiros para viabilizar fábrica de celulose
12/01/2018 - 10:00  MS renegociou R$ 3,6 bilhões em dívidas com União e BNDES
12/01/2018 - 09:26  Venda de materiais de construção aumenta 5% no Estado
11/01/2018 - 13:27  Sem correção, defasagem da tabela do IR sobe para 88,4%
10/01/2018 - 14:15  Se gasolina, gás e luz só sobem, como a inflação foi tão baixa?
09/01/2018 - 10:00  Indústria nacional quer aumentar rendimento do combustível
08/01/2018 - 11:00  Mercado reduz previsão do PIB e de inflação de 2018, divulga BC
08/01/2018 - 10:30  A técnica japonesa para economizar 800 reais por mês e não se privar de nada
08/01/2018 - 10:00  Receita abre consultas a lote residual do Imposto de Renda
05/01/2018 - 13:00  Produção de veículos sobe 25,2% no Brasil em 2017, diz Anfavea
05/01/2018 - 12:00  Produção de veículos sobe 25,2% no Brasil em 2017, diz Anfavea
05/01/2018 - 10:01  Impulsionada pela soja, exportação de MS soma US$ 4,7 bilhões em 2017
05/01/2018 - 10:00  Fundo de equilíbrio fiscal atraiu 638 empresas no Estado
05/01/2018 - 09:27  Caixa é autorizada a utilizar recursos do FGTS para reforçar capita
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE