PUBLICIDADE
Economia
Noticia de: 08 de Janeiro de 2018 - 11:00
Mercado reduz previsão do PIB e de inflação de 2018, divulga BC



 
 

Analistas do mercado financeiro reduziram suas previsões de inflação e de crescimento da economia para 2018. Segundo dados do relatório de mercado conhecido como "Focus", os economistas ouvidos pelo Banco Central estimam uma inflação de 3,95% em 2018, contra 3,96% do último relatório.

 

Já a estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2018 caiu de 2,70% para 2,69%.

 

O Focus é feito com base em pesquisa do Banco Central, da semana passada, com mais de 100 instituições financeiras. Este foi o primeiro relatório feito em 2018.

 

Para 2017, o mercado elevou a previsão de crescimento do PIB de 1% para 1,01% e aumentou de 2,78% para 2,79% a inflação prevista para 2017.

 

Com isso, a inflação em 2017 deve ficar abaixo da meta fixada pelo governo. Pelo sistema brasileiro, a meta central é de 4,5% para este ano e para 2018, com um intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima e para baixo, de modo que a inflação pode ficar entre 3% e 6% sem que seja formalmente descumprida.

 

Quando a meta de inflação é descumprida, o presidente do Banco Central tem que escrever uma carta pública ao ministro da Fazenda explicando as razões para a variação fora da previsão.

 

Juros

 

O mercado estima que no fim de 2018 a taxa básica de juros do Brasil, a Selic, esteja em 6,75%. Atualmente a Selic está em 7%.

 

Câmbio, balança e investimentos

 

Na edição desta semana do relatório Focus, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2018 ficou estável em R$ 3,34.

 

A projeção do boletim Focus para o resultado da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações), em 2018, apresentou uma leve queda de US$ 52,5 bilhões para US$ 52 bilhões de resultado positivo.

 

Na semana passada o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic) divulgou que a balança comercial fechou 2017 com superávit de US$ 67 bilhões.

 

 O resultado é bem próximo da última estimativa do mercado, que previa um resultado positivo de US$ 66 bilhões para 2017.

 A previsão do relatório para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil, em 2018, permaneceu em US$ 80 bilhões. Já a estimativa para 2017 caiu de US$ 80 bilhões para US$ 78 bilhões.

·         BANCO CENTRAL DO BRASIL

 

principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
16/01/2019 - 08:30  Soja rende mais de R$ 12 bilhões para produtores do Estado
14/01/2019 - 15:09  Receita abre consulta a restituição do Imposto de Renda de 2008 a 2018
14/01/2019 - 08:25  Com “ameaça” de Guedes ao Sistema S, cooperativas defendem instituições
11/01/2019 - 11:06  O bilionário negócio do cigarro eletrônico toma conta
11/01/2019 - 08:16  Setor reage e exportações de carne bovina superam R$ 2 bilhões
10/01/2019 - 08:24  MS tem 12 cidades entre as 100 mais ricas do agronegócio
09/01/2019 - 14:23  Endividamento das famílias cai em dezembro, revela pesquisa
08/01/2019 - 08:47  Produção industrial sobe 0,1% em novembro ante outubro, aponta IBGE
08/01/2019 - 08:21  MS mantém crescimento econômico e pode superar índice de 2014
08/01/2019 - 08:11  MS exportou R$ 5,8 bilhões em 2018; soja e celulose se destacam
07/01/2019 - 09:24  Dólar recua e chega a operar abaixo de R$ 3,70
07/01/2019 - 09:07  Janeiro é mês de muitas despesas, saiba como economizar
04/01/2019 - 10:47  Petrobras reduz pelo 2º dia seguido preço da gasolina nas refinarias
04/01/2019 - 10:44  Lei Kandir pode render repasse de R$ 1,95 bilhão a estados e municípios
04/01/2019 - 08:50  Pedidos de falência nas empresas mais que dobram em 2018
03/01/2019 - 10:05  Secretário da Receita quer Imposto de Renda mais alto para ricos
27/12/2018 - 09:42  Brasileiros planejam gastar em média R$ 290 com as festas de Ano Novo, diz SPC
27/12/2018 - 07:56  Governo prorroga prazo para renovar incentivos fiscais em 60 dias
17/12/2018 - 13:55  Contribuintes recebem hoje restituições do último lote do IRPF
13/12/2018 - 09:33  Contribuinte já pode ir até agências fazendárias negociar dívida de ICMS
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE