PUBLICIDADE
Economia
Noticia de: 25 de Janeiro de 2018 - 10:00
Empresários devem refinanciar dívidas com a União antes do dia 31



 
 

Empresários de micro e pequenas empresas que possuem débitos tributários devem procurar a Receita Federal até o dia 31 de janeiro para parcelar as dívidas e permanecerem no Simples Nacional, enquanto o veto ao Refis para os pequenos negócios não é derrubado em Brasília. O alerta é do presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos.

Desde o dia 15 de janeiro o hotsite www.refisparaospequenos.com.br oferece informações, orientações e registra o apoio à derrubada do veto ao projeto de recuperação fiscal para as empresas de micro e pequeno porte.

O movimento trabalha também na orientação às empresas que possuem débitos com a União e foram notificadas pela Receita Federal. Elas devem regularizar a situação até o final do mês, parcelando as dívidas na regra atual (em até 60 meses), para não serem excluídas do Simples.

“Estamos trabalhando neste alerta aos empresários, mas sabemos que é impossível quitarem as dívidas no modelo atual. Por isso, também reforçamos o apoio à derrubada do veto para depois eles possam migrar para o parcelamento mais favorável”, alertou o presidente da Fenacon (Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis), Valdir Pietrobon.

Já o presidente do Sebrae ressaltou que em função da disposição do governo em aplicar os benefícios do parcelamento aos pequenos negócios, o Congresso deverá derrubar o veto logo no retorno do recesso, em fevereiro.

“De qualquer forma, as empresas têm até o dia 31 de janeiro para solicitar o refinanciamento nas condições antigas, que não são tão favoráveis, mas deve ser feito para que não sejam eliminadas do Simples”, alertou. “E precisam aguardar o mês de fevereiro, quando o Congresso deverá derrubar esse veto. Com isso, as empresas poderão migrar para uma condição mais favorável de parcelamento e continuar no regime”.

Com foco em todas as empresas do Simples, o Refis beneficiaria especialmente com condições mais favoráveis cerca de 600 mil empresas, que devem aproximadamente R$ 20 bilhões à União e foram notificadas pela Receita Federal. Caso não negociem o parcelamento até o fim de janeiro, nas condições atuais, elas serão excluídas do Simples Nacional. Por meio do Refis, o parcelamento das dívidas poderá ser feito em até 180 vezes, com redução expressiva de juros e multas.

principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
09/10/2018 - 10:17  Produção industrial cai em agosto em 6 dos 15 locais pesquisados pelo IBGE
09/10/2018 - 09:44  Novas indústrias irão gerar 500 empregos em Mato Grosso do Sul
02/10/2018 - 10:07  Soja bate R$ 84 e acelera venda antecipada do grão no Estado
01/10/2018 - 16:08  Três a cada quatro idosos usam exclusivamente o SUS, diz estudo
01/10/2018 - 15:31  Prefeitura de Dois Irmãos do Buriti realiza audiência pública da Lei Orçamentária Anual.
01/10/2018 - 09:32  Busca por consignado cresce e chega a R$ 5,7 bilhões no Estado
28/09/2018 - 11:00  IBGE confirma MS como 4º maior rebanho de bovinos
27/09/2018 - 09:15  Consumidores de MS buscam R$ 1,2 bilhão em empréstimos
26/09/2018 - 11:42  Consignado com FGTS pode ajudar 484 mil trabalhadores em MS
21/09/2018 - 10:31  Prévia da inflação oficial fica em 0,09% em setembro, aponta IBGE
19/09/2018 - 15:47  Dia das crianças deve movimentar R$ 130 milhões em Mato Grosso do Sul
17/09/2018 - 14:38  Economia brasileira cresceu 0,57% em julho, diz Banco Central
10/09/2018 - 11:53  Reforma da pista do aeroporto de Bonito custará R$ 4 milhões a MS
10/09/2018 - 10:43  Projeção da inflação cai de 4,16% para 4,05% este ano
10/09/2018 - 10:06  Receita abre consulta ao 4º lote de restituição do IR nesta segunda
03/09/2018 - 10:47  Receita do Estado avança 18% e soma R$ 1,2 bi a mais até julho
27/08/2018 - 09:17  População já pagou R$ 703 milhões em impostos em Campo Grande
23/08/2018 - 09:42  Conta de luz vai ficar 24,42% mais cara em cinco cidades de Mato Grosso do Sul
22/08/2018 - 16:23  Intenção de consumo das famílias cresce 0,6% em agosto
21/08/2018 - 11:11  Indústria de MS exportou mais de US$ 2 bilhões de janeiro a julho
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE