PUBLICIDADE
Geral
Noticia de: 14 de Maio de 2018 - 10:15
Sem lei, fiscalização cria código de conduta para tolerar carona amiga



 
 

No Facebook, um grupo com mais de 9 mil membros tem objetivo específico: oferecer viagem em carro particular entre Campo Grande e Corumbá. Para percorrer os 419 quilômetros entre as duas cidades, os valores das passagens de ônibus vão de R$ 99 a R$ 169; na modalidade carona, a distância é percorrida ao custo médio de R$ 70.

Sem lei, a fiscalização tem um código de conduta para separar a carona amiga da lotação, que é transporte irregular de passageiros. “Isso é uma coisa nova que vem acontecendo no País. O transporte entre as cidades por operadores não cadastrados. Uma situação que está em estudo para ver o que vai ser permitido”, afirma o diretor de Transporte da Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos), Ayrton Rodrigues.

Por enquanto, a linha divisória entre o permitido e punível com multa e apreensão é a necessidade da viagem. Ou seja, na carona solidária, a pessoa realizaria a viagem de qualquer maneira.

“Se o motorista que estiver operando o serviço faz simplesmente para ter ganho financeiro, se é um modo de vida, ele não pode realizar a viagem sob pena de multa e apreensão. Mas se o motorista faria a viagem necessariamente, tem uma motivação no destino que não seja transportar pessoas, isso está sendo tolerado”, diz Ayrton.

No quesito segurança, a Agepan alerta que o viajante não compra uma passagem, o que, no trasporte tradicional, assegura direitos. “Não tem nenhuma garantia em caso de cancelamento ou mesmo de acidente. Não tem a cobertura padrão. Além do DPVAT, tem o seguro que as empresas de ônibus pagam. Também não tem a garantia da habilitação do motorista, da manutenção mecânica do veículo", diz. 

Fiscalização apreendeu carro de passeio que fazia lotação. (Foto: Agepan/Divulgação)Fiscalização apreendeu carro de passeio que fazia lotação. (Foto: Agepan/Divulgação)
Segundo Ayrton, na carona amiga mesmo, viagem seria realizada de qualquer forma. (Foto: Marina Pacheco)Segundo Ayrton, na carona amiga "mesmo", viagem seria realizada de qualquer forma. (Foto: Marina Pacheco)

Fiscalização no começo do mês fez flagrantes de particulares na linha de transporte intermunicipal entre Ribas do Rio Pardo e Campo Grande, na BR-262. Quatro carros particulares foram autuados e multados pela ‘lotação’. Um deles foi apreendido.

Me ajuda, que te ajudo - “É uma forma alternativa do caroneiro ajudar o carona e do carona ajudar o caroneiro”, afirma Júnior Marinho, que abriu o primeiro grupo de carona em Mato Grosso do Sul no ano de 2009.

“Vim de Prudente [SP] e fundei o grupo em MS. Em outubro de 2009, tinha duas pessoas. Um ano depois, em novembro de 2010, eram seis mil pessoas”, diz.

Os destinos mais procurados são de Campo Grande a Corumbá e de Campo Grande a Dourados. Para a primeira cidade, o valor médio é de R$ 70 e muitos “caroneiros” vão visitar familiares. Para Dourados, o maior público é de estudantes, que, na média, ajudam com valores entre R$ 30 e R$ 40 para o combustível.

Sobre a segurança, ele afirma que o grupo é como um controle externo. Ou seja, qualquer problema é noticiado pelo usuário na rede social. “ Mas nunca tive problema com passageiros. As caronas são mais para pessoas que precisam viajar, que vão a trabalho. Nesses nove anos, nunca tive problema”, afirma.

principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
17/10/2018 - 12:31  Prefeitura de Dois Irmãos do Buriti realiza operação tapa-buracos por toda cidade.
17/10/2018 - 12:10  Falha em sites do Governo de MS suspende atendimentos de serviços
17/10/2018 - 12:06  Sem receber há 50 dias, servidores públicos estão há nove dias em greve
17/10/2018 - 10:21  Alerta de tempestade e queda de granizo em 38 cidades de MS nesta quarta-feira
17/10/2018 - 10:17  Transporte gratuito a doentes crônicos pode deixar de valer
17/10/2018 - 10:16  Municípios usarão recursos da Cesp em infraestrutura
16/10/2018 - 09:45  Em dez anos, usuários de MS fizeram mais de 450 mil trocas de operadoras
16/10/2018 - 09:25  Bombeiros salvam vida, mas agora respondem a processo
16/10/2018 - 09:00  MS teve 2,2 mil demissões por acordo desde o início da reforma
15/10/2018 - 17:33  Fazenda de traficante é 1ª na história transferida para governo paraguaio
15/10/2018 - 17:30  Estado diz que dinheiro só é suficiente para retomar Aquário sem licitação
09/10/2018 - 11:44  Uso de agrotóxicos coloca antas em risco na região do cerrado de Mato Grosso do Sul
09/10/2018 - 11:21   Enem para privados de liberdade é antecipado para 11 e 12 de dezembro
09/10/2018 - 11:19  Chuvas de outubro reduzem 77% dos incêndios em MS comparado a 2017
09/10/2018 - 11:18  Conselho Nacional de Justiça julga processo disciplinar contra a desembargadora Tânia
09/10/2018 - 09:51  Horas de chuva causam enchentes em seis cidades e deixam desalojados
08/10/2018 - 11:05  Governo chama candidatos da PM para prova de título e teste psicológico
08/10/2018 - 10:10  Conheça o Pantanal em preto e branco pintado por estudantes
08/10/2018 - 09:49  Imprensa internacional repercute vantagem de Bolsonaro
08/10/2018 - 09:22  Desafios do próximo governo vão de logística a ICMS do gás
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE