PUBLICIDADE
Geral
Noticia de: 28 de Novembro de 2018 - 14:34
Muitas não sabem, mas mulher vítima de violência tem direito a licença



 
 

Tribunal Regional do Trabalho em Campo Grande .

 
 

A Lei Maria da Penha é como ficou conhecida e Lei 11.340/2006, uma homenagem à cearense Maria da Penha Maia Fernandes, cuja história de vida e resistência mudou a forma como a legislação brasileira protege as mulheres em todo o Brasil. Principal legislação brasileira sobre violência contra a mulher, a lei também garante proteção no trabalho. Ainda assim, é pouco conhecida pelas mulheres e pelos empregadores.

A falta de conhecimento, explica a juíza da 5ª Vara do Trabalho de Campo Grande, Dea Marisa Brandão Cubel Yule, é o provável motivo que explica o baixo número de ações judiciais sobre o tema. Em busca nas varas do trabalho, a juíza encontrou apenas uma ação, no interior de São Paulo.

Conforme a lei, as mulheres não podem ser demitidas quando são vítimas de violência, além de terem direito a um afastamento do trabalho por até seis meses.

“Na verdade a previsão é na lei Maria da Penha, o artigo 9º prevê a manutenção do emprego e quando necessário o afastamento por até 6 meses. Quando é funcionária pública, ela tem acesso prioritário a remoção, permite que ela vá pra outro setor. Essa previsão legislativa, esse período é considerado de suspensão compulsório do trabalho, nesse período ela não pode ser dispensada por nenhum motivo”, comenta.

Para a juíza, falta conhecimento da lei. Parte da Política Nacional de Combate à Violência contra Mulheres, o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) instituiu a XII edição da Semana Justiça Pela Paz em Casa. Em todo o Brasil, diversas ações são realizadas em prol da Lei Maria da Penha. Ao menos 6 mil processos de violência doméstica cometida contra mulheres que tramitam na Justiça brasileira poderão ser analisados durante a semana em todo o Brasil.

“Falta conhecimento do direito, muitas trabalhadoras não sabem desse direito, dessa essa manutenção do emprego. O ideal é que o juiz faça essa comunicação à empresa, pergunte se ela está empregada, comunique a empresa que ela está sob proteção. Mas o principal obstáculo é o desconhecimento”, comentou a juíza.

Para a magistrada, mais ações devem ser registradas na Justiça do trabalho se a lei for mais conhecida. “Seguramente, porque a vítima vai procurar essa garantia”, afirma.

A juíza comenta que a vergonha e a falta de diálogo sobre a situação de violência no trabalho são as principais dificuldades da mulher vítima de violência no trabalho. “São as ausências reiteradas, quando vem esse afastamento, ficam injustificadas, por vergonha, por medo de novas violências, então ela reprime essa situação durante um tempo. Isso compromete o desempenho”, explica.

Para ela, o Judiciário e a sociedade devem investir, cada vez mais, em divulgar a lei Maria da Penha. Um ponto de destaque, orienta, é divulgar esse direito junto às empresas. “Para que as empresas estejam atentas, é um dever de toda a sociedade, as empresas tem que ser apoiadoras dessas mulheres, para saberem lidar com essa situação, porque muitos empregadores também desconhecem”, afirma.

Fonte - (Campo Grande News)

principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
08/12/2018 - 10:11  Centro de Educação Infantil Professora Sidnei Marques Rosa forma 43 alunos.
07/12/2018 - 10:28  Prefeitura de Dois Irmãos do Buriti recebe do governo do estado certificado de reconhecimento ...
07/12/2018 - 09:58  Formatura do Centro Infantil Anjos do Dia.
06/12/2018 - 15:28  Greve barra veículos e obriga travessia a pé na fronteira com a Bolívia
06/12/2018 - 15:28  BNDES lança programa para atender startups
06/12/2018 - 14:53  Anatel tira celulares irregulares do ar em Mato Grosso do Sul
06/12/2018 - 14:20  No vale da pobreza, renda média do sul-mato-grossense é sonho distante
06/12/2018 - 10:35  Renda média do trabalhador é de R$ 2,3 mil em MS, 10º maior entre os estados
06/12/2018 - 07:50  Usina de energia solar é inaugurada no Instituto Federal de MS
06/12/2018 - 07:47  Leilão do pré-sal pode destinar R$ 1,2 bilhão a MS
04/12/2018 - 10:03  Detran pede prazo adicional de 60 dias para implantação de nova placa
04/12/2018 - 08:50  Exército busca apoio de bancada para viabilizar verbas ao Sisfron
03/12/2018 - 13:33  Correios começam a emitir carteira de trabalho em projeto piloto em SP
03/12/2018 - 13:28  Aids: o vírus do preconceito agride mais que a doença
30/11/2018 - 16:06  Marun diz que chuva é culpada por obras paradas no Estad
30/11/2018 - 09:05  De 115 inscritos para o Mais Médicos em MS, 11 se apresentaram ao trabalho
30/11/2018 - 09:03  MS tem ONG em noite de seis projetos premiados em SP
30/11/2018 - 08:56  Com pátio abarrotado, Detran abre leilão de 938 toneladas de sucata
29/11/2018 - 15:52  Reunião com municípios definirá ações de proteção ao rio da Prata, diz governador
29/11/2018 - 14:34  Prefeitura de Dois Irmãos do Buriti abre inscrições para o processo seletivo de professores ...
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE