PUBLICIDADE
Policial
Noticia de: 06 de Dezembro de 2018 - 10:35
Espancada por colegas de escola, criança morre 7 dias depois em hospital



 
 
A briga entre meninas aconteceu fora da escola Lino Vilachá, onde elas estudam. (Foto: Arquivo)A briga entre meninas aconteceu fora da escola Lino Vilachá, onde elas estudam. (Foto: Arquivo)

Uma semana depois de ser agredida por três colegas da escola Lino Vilachá, no Bairro Nova Lima, Gabriela Ximenes, 10 anos, morreu na Santa Casa de Campo Grande na manhã desta segunda-feira. As agressoras, segundo a polícia, são duas adolescentes de 14 anos e uma criança de 10 anos, que estuda no quarto ano do ensino fundamental, junto com a vítima.

A agressão aconteceu no dia 29, na saída das aulas, fora da escola. A criança foi levada para  Santa Casa, ficou em observação e foi liberada. Segundo o relato da família, tinha dores na coluna e no quadril.

No dia 4, ainda conforme a informação prestada à Polícia Civil pelos familiares, ela voltou a sentir dores e foi levada primeiro para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Bairro Coronel Antonino, passou pelo CEM (Centro de Especializado Municipal) e depois voltou para a Santa Casa. Lá, ficou internada, passou por procedimento cirúrgico pela equipe de ortopedia, e acabou falecendo às 6h25 desta quinta-feira.

Embora tenha ocorrido há uma semana, só hoje o caso foi registrado na Polícia Civil, depois da morte. O delegado José Roberto de Oliveira Junior informou que, embora tudo indique que o óbito tenha relação com a agressão na escola, é preciso investigar e por isso o registro foi como "morte a esclarecer".

Uma das dúvidas, explicou, é se a liberação pelo hospital piorou o quadro. A unidade de saúde informou que a criança tinha várias fraturas, sem detalhar quais. De acordo com o delegado, a Depac Centro fez o boletim de ocorrência, mas a investigação vai ficar a cargo da Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude), responsável por infrações envolvendo crianças e adolescentes. 

escola é estadual. A assessoria de imprensa informou que, embora tenha acontecido fora das dependências, a Secretaria Estadual de Educação acompanha o caso. Por envolver adolescentes e crianças, os nomes das agressoras são preservados por imposição do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
29/04/2019 - 10:18  Traficante fura bloqueio policial e morre em confronto com o DOF
23/04/2019 - 09:31  Após roubo, bandido morre em troca de tiros com PM
23/04/2019 - 09:28  PF cumpre 14 mandados em Campo Grande e SP
16/04/2019 - 10:25  Gaeco cumpre mandados em 4 cidades nesta manhã
16/04/2019 - 10:10  Homem perde mais de R$ 33 mil em golpe de estelionato
15/04/2019 - 11:07  PRF prende em flagrante quadrilha com 336 quilos de maconha em Jardim
10/04/2019 - 09:11  Filho de PM é executado a tiros de fuzil na porta de casa
09/04/2019 - 09:10  Reformas travadas dificultam capital internacional em MS, diz Reinaldo
04/04/2019 - 10:18  Polícia apreende armas e munições na casa de pastor
28/03/2019 - 11:00  Polícia deflagra operação contra pornografia infantil em MS
28/03/2019 - 10:12  Guarda municipal cochila na moto e morre em avenida
25/03/2019 - 09:20  Acusado de matar musicista vai a júri nesta semana
20/03/2019 - 10:44  Pai e madrasta, lutadores de MMA que mataram bebê de 1 ano vão a júri em MS
20/03/2019 - 10:27  Preso da Capital é apontado como liderança do PCC de Minas
19/03/2019 - 11:46  Homem achado morto com mãos amarradas é a 4ª vítima do dia na Capital
19/03/2019 - 11:10  Quatro são presos suspeitos de estupro coletivo em aldeia de Aquidauana
19/03/2019 - 09:30  Brasileira estuprada por policiais em prisão na Bolívia é transferida
15/03/2019 - 11:16  Marido bate em grávida porque mulher pediu para ele lavar louça
15/03/2019 - 11:09  Jovem saca revólver no meio da rua no centro de Campo Grande, assusta populares e acaba preso
15/03/2019 - 10:53  Um dos 10 mais procurados pela Polícia Federal do Brasil é preso na Bolívia
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE