PUBLICIDADE
Geral
Noticia de: 12 de Março de 2019 - 11:42
Rompimento em Brumadinho poderia ter sido evitado, afirma MP



 
 

Resultado de imagem para rompimento de barragem em brumadinho


A promotora de Justiça do MPMG (Ministério Público do Estado de Minas Gerais), Paula Ayres Lima, afirmou, nesta segunda-feira (11), que a força tarefa que investiga o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, ocorrido no fim de janeiro, já tem convicção de que a tragédia poderia ter sido evitada.

Em entrevista realizada em Belo Horizonte, ela disse que já há convicção entre os vários órgãos que participam das apurações de que foi um crime doloso, já que havia conhecimento desde 2017 sobre a situação da barragem e nada foi feito.

"Nenhuma providência prática foi tomada. Nem o Plano de Ação Emergencial, que não teria evitado o rompimento, mas teria evitado a catástrofe humana, foi adotado", disse, lembrando que há informações sobre uma tentativa de se resolver o problema, mas que não deu certo e foi abandonada. "Tudo indica que eles teriam que parar a produção e ficou-se sempre buscando uma solução que evitasse parar a operação", completou.

Segundo a promotora, cerca de 18 pessoas estão sendo investigadas, mas a Força-Tarefa não iniciou ainda a tipificação de todos os crimes associados ao rompimento da estrutura. O presidente afastado da companhia, Fábio Schvartsman, também não foi ouvido ainda.

"Essa investigação é um quebra-cabeça de milhões de peças e todas as peças têm se mostrado importantes. Há um conjunto de provas que está permitindo que a gente já faça algumas conclusões", disse, frisando que a tipificação legal pode levar o grupo a apontar crimes contra a fauna, a flora, além das morte

Para a promotora, não se pode atribuir a culpa à empresa. "A Vale é uma pessoa jurídica. O que a gente vê é que os funcionários que lidavam ali no dia a dia, principalmente aqueles que tiveram mandado de busca e apreensão, não fizeram nada", completou. "É mais que omissão isso. É uma omissão muito sabida. Eles tinham consciência que existia um risco", disse.

Procurada, a Vale ainda não se pronunciou sobre o conteúdo da entrevista.

principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
19/03/2019 - 11:36  Falta saneamento básico para 2 bilhões de pessoas no mundo, diz ONU
19/03/2019 - 10:33  Brasil e EUA assinam acordo que permite uso comercial de Alcântara
19/03/2019 - 10:11  Obra do Reviva pode ter aditivo milionário
18/03/2019 - 15:46  MS dobrará exportações de produtos por hidrovia
18/03/2019 - 15:44  PDV pode ser encaminhado amanhã para Assembleia
18/03/2019 - 12:31  Eder Aguiar, Presidente Vereador da Câmara Municipal, visita o Secretário da AGRAER.
18/03/2019 - 10:35  Mais de 80% dos turistas aprovam atrativos, gastronomia e segurança pública de MS
18/03/2019 - 10:32  Pedreiro persegue mulher, a derruba e a mata com machadinha
18/03/2019 - 10:13  Mulher, marido e filha morrem em acidente de trânsito na BR-060
18/03/2019 - 10:02  Em duas décadas, lagos do Amor e de parque podem desaparecer
16/03/2019 - 16:50  Ex-coordenador Funai e Ex-Ministro entrega veículo para CTL de Sidrolandia.
15/03/2019 - 11:39  Sexta-feira com risco de tempestade em quase todo o MS, diz Inmet
15/03/2019 - 11:10  Filho é estuprado no banheiro de escola e mãe ouve de direção que nada teria acontecido
15/03/2019 - 10:06  Santa é queimada pela 2ª vez e criador de capela acredita que seja pessoal
15/03/2019 - 09:39  Secretaria Municipal de Educação em parceria com o SENAR/MS e Sindicato Rural oferece aos ...
14/03/2019 - 16:08  Tribunal nega recurso de fazendeiros e mantém índios em área de conflito
14/03/2019 - 16:07  Ar-condicionado é o vilão pelo aumento da conta de luz, diz Aneel
14/03/2019 - 10:06  Veículo cai em corrégo e motorista escapa sem ferimentos
14/03/2019 - 09:27  Instituto Ranking em Dois Irmãos do Buriti: pesquisa administrativa e eleição 2020
13/03/2019 - 16:29  Prefeito confirma Herbert Assunção como secretário da Sedesc
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE