PUBLICIDADE
Cultura
Noticia de: 14 de Junho de 2019 - 10:04
Relatório da reforma da Previdência agrada e dólar cai a R$ 3,85



 
 
 relatório da reforma da Previdência na comissão especial, apresentado nesta quinta-feira, 13, foi bem recebido pelo mercado de câmbio e o dólar teve um dia de queda. A moeda americana chegou a recuar para R$ 3,83 pela manhã, mas a desvalorização perdeu um pouco de força pela tarde, por conta da alta da moeda americana perante divisas como o euro e a libra e de mercados emergentes como a Turquia e Índia. O dólar à vista fechou em queda de 0,31%, a R$ 3,8549. 

No relatório da Previdência, os investidores gostaram da economia fiscal da reforma após as mudanças na comissão especial, que ficou em R$ 913 bilhões, ainda perto do R$ 1,2 trilhão do texto original do governo e quase o dobro do texto de Michel Temer. Nas mesas de operação, cresce a aposta de que o texto deve ser votado no plenário da Câmara antes do recesso, o que vem fazendo os agentes a reduzir apostas contra o real. 

"A economia fiscal do relatório é um número bom e o mercado está contando com a declaração do Rodrigo Maia, de que a votação deve ocorrer no começo de julho", afirma a economista-chefe do Grupo Ourinvest, Fernanda Consorte. Na quarta, Maia disse que o objetivo é votar o texto na primeira semana do mês que vem. Anteriormente, ela destaca que a aposta majoritária do mercado era de que a primeira votação na Câmara fosse ocorrer só no segundo semestre. 

O economista-chefe em do grupo holandês ING para América Latina, Gustavo Rangel, avalia que a desidratação do relatório apresentado foi "modesta". Para ele, é possível votar o texto antes de os deputados entrarem em recesso, em meados de julho, mas o cenário mais provável é de votação em agosto, após a volta dos deputados. Rangel destaca que o ambiente político no Brasil melhorou nos últimos dias, com o apoia à reforma se ampliando, mas pressões de grupos de interesse ainda podem provocar mudanças importantes no texto até a aprovação final, deixando o mercado volátil. 

Se o governo conseguir aprovar no Congresso uma reforma com economia fiscal relevante, o economista do ING vê chance de o dólar testar valores perto de R$ 3,30/R$ 3,40. O cenário de Rangel é que a reforma deve ter o aval final da Câmara em setembro e no Senado em novembro.

principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
08/08/2019 - 12:13  Estudante morre com tiro na cabeça dentro de escola
02/08/2019 - 09:36  Exército destrói mais de 1,8 mil armas entregues pelo Poder Judiciário
01/08/2019 - 10:19  Exposição no Centro Cultural apresenta lado comercial e mercadológico da arte e design
23/07/2019 - 15:09  Artistas recebem pela primeira vez o título de doutor honoris causa
22/07/2019 - 11:46  Na abertura da SBPC, ministro fala em união para fortalecer ciência no País
19/07/2019 - 10:05  Decreto prevê incentivo a municípios que ampliarem horário de postos
08/07/2019 - 11:20  Homem é morto a tiros ao chegar de moto em casa
05/07/2019 - 11:40  Bandidos levam aparelho auditivo de criança em invasão de casa
04/07/2019 - 10:00  PMA ressalta que onça não representa risco para comunidade acadêmica em Aquidauana
18/06/2019 - 14:47  Aplicativo dará mais agilidade a processos no Imasul, diz Felipe
14/06/2019 - 10:05  Com aumento de 14%, MS é o 6º estado com maior alta na entrada de turistas
14/06/2019 - 09:12  Aquidauana sedia 1º Fórum para discutir modelo de ensino em tempo integral
10/06/2019 - 11:00  Roteiro com cinco destinos turísticos que valem a sua visita em Miranda
10/06/2019 - 09:02  Sesau disponibiliza vacina contra Febre Amarela na segunda (10)
07/06/2019 - 10:03  Duas universitárias morrem em acidente entre carro e van de prefeitura em MS
03/06/2019 - 09:31  Inscrições para o Fies poderão ser feitas a partir de 25 de junho
30/05/2019 - 09:19  Quase 60 quilômetros de ruas serão recapeadas em Campo Grande
28/05/2019 - 09:16  Em Aquidauana, homem violento agride com socos a esposa por ela recusar sexo
27/05/2019 - 09:17  Campo Grande Expo 2019 abre seus portões amanhã
06/05/2019 - 10:05  Diesel negociado nas refinarias está mais caro a partir de hoje
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE