PUBLICIDADE
Política
Noticia de: 06 de Novembro de 2018 - 14:54
Cotados para secretários, deputados preferem ficar na Assembleia



 
 
Deputado José Carlos Barbosa (DEM) durante discurso na Assembleia Legislativa de MS. (Foto: Victor Chileno/ALMS).Deputado José Carlos Barbosa (DEM) durante discurso na Assembleia Legislativa de MS. (Foto: Victor Chileno/ALMS).
Rinaldo Modesto, do PSDB, durante leitura de documento na Casa de Leis. (Foto: Victor Chileno/ALMS).Rinaldo Modesto, do PSDB, durante leitura de documento na Casa de Leis. (Foto: Victor Chileno/ALMS).

Cogitados para ocupar cargos no primeiro escalão do governo de Reinaldo Azambuja(PSDB), a partir de 2019, os deputados estaduais José Carlos Barbosa (DEM) e Rinaldo Modesto (PSDB), afirmam que, a princípio, vão permanecer na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul.

Nos bastidores, o nome de José Carlos foi cotado para ocupar a Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública), pasta que já comandou até o início de 2018. Segundo o parlamentar, o desejo é cumprir o mandato no qual foi eleito este ano e que a possibilidade de retorno ao governo é mera especulação.

Outro fator que o faz querer permanecer na Casa de Leis é a vontade de disputar a Prefeitura de Dourados, sua base eleitoral, em 2020. Para disputar cargo no Executivo do município, ele precisaria se licenciar do cargo de secretário daqui dois anos.

Rinaldo Modesto seria um dos nomes para pasta de Educação, contudo, ele afirma que não existe nenhuma conversa neste sentido com o governador Reinaldo Azambuja. A princípio, afirma que também prefere ficar na Assembleia, cumprindo o cargo no qual foi eleito.

No feriado, o parlamentar se reuniu com o governador, mas que o assunto girou em torno de agradecimento aos que contribuíram para a reeleição de Azambuja. “Não foi discutida a questão de eventual mudança de secretariado”.

Deputada Mara Caseiro (PSDB) durante homenagem na Assembleia. (Gabriela Rufino/ALMS)Deputada Mara Caseiro (PSDB) durante homenagem na Assembleia. (Gabriela Rufino/ALMS)

Os nomes dos dois parlamentares começaram a ser levantados porque os dois fazem parte da coligação PSDB-DEM, que tem a deputada Mara Caseiro (PSDB) como primeira suplente.

Ela não foi reeleita este ano e assumiria uma vaga em 2019, se um dos dois deputados se tornasse secretário.

Mara disse que, após o primeiro turno, chegou a conversar com Reinaldo que, segundo suas palavras, achou “inadmissível” a Assembleia Legislativa de MS não ter nenhuma representante mulher.

Por isso, “puxar” um deputado da coligação para seu governo seria uma forma de manter a deputada com uma cadeira no Legislativo estadual.

Hoje, a parlamentar disse que não conversou com o governador depois do segundo turno, mas que existe a possibilidade e que aguarda qualquer definição.

principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
17/01/2019 - 14:45  Fux suspende investigação sobre movimentações de Queiroz
16/01/2019 - 10:40  Diretor da Sanesul vai para Detran e ex-secretário de Zauith assume estatal
16/01/2019 - 09:47  Ministério do Meio Ambiente suspende convênios e parcerias com ONGs por três meses
16/01/2019 - 09:11  Governo estuda sistema de pontos na transição da reforma da Previdência
16/01/2019 - 09:09  Ameaça derruba dirigente e abre espaço para senadora presidir PSL
16/01/2019 - 09:09  Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
16/01/2019 - 09:02  Reinaldo critica PSDB e diz que partido errou em aliar-se ao governo Temer
15/01/2019 - 14:27  Bolsonaro assina decreto que facilita posse de armas
11/01/2019 - 08:30  Bolsonaro defende mudanças na legislação para combater a violência
11/01/2019 - 08:14  Governo vai criar PDV e nem todos comissionados demitidos voltarão
10/01/2019 - 14:29  Decreto de posse de armas pode sair nesta sexta, diz Doria após reunião com Bolsonaro
10/01/2019 - 14:22  MEC abre sindicância para investigar mudanças em livros didáticos
10/01/2019 - 14:19  Planalto divulga retrato oficial de Jair Bolsonaro como presidente
10/01/2019 - 14:13  Plano de demissão voluntária será apresentado em fevereiro
10/01/2019 - 08:57  Em dez dias, governo Bolsonaro coleciona recuos, desencontros e medidas polêmicas
09/01/2019 - 14:23  Presidente diz que Brasil jamais se recusará a ajudar imigrantes
09/01/2019 - 10:40  Bolsonaro alega risco e determina que PF amplie segurança de Moro
09/01/2019 - 10:37  Governo Bolsonaro ordena paralisar a reforma agrária no país
08/01/2019 - 15:43  Fechamento de escolas é resultado da redução de alunos, diz Azambuja
08/01/2019 - 15:15  Máfia do Cigarro cooptou serviço reservado e manipulava escala da PM
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE