PUBLICIDADE
Economia
Noticia de: 12 de Janeiro de 2018 - 10:00
MS renegociou R$ 3,6 bilhões em dívidas com União e BNDES



 
 

Mato Grosso do Sul conseguiu renegociar R$ 3,6 bilhões em dívidas com a União e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Os dados constam de balanço divulgado ontem pelo Tesouro Nacional, que informa que 18 Estados solicitaram o benefício, no valor total de R$ 458,9 bilhões.

Os pedidos foram todos aprovados. Nas contas do Tesouro, isso deverá resultar em uma redução potencial no fluxo de pagamentos da dívida com a União de R$ 44,7 bilhões de julho de 2016 e junho deste ano. As informações são da Agência Brasil.

O governo de Mato Grosso do Sul conseguiu renegociar somente com a União R$ 3.300.168.109 e o status configura como “deferido”. Já o pedido de redução regressiva das parcelas encontra-se “em análise”. O alongamento da dívida será para 240 meses. Para MS, a redução potencial no fluxo de pagamento da dívida foi de R$ 2,287 bilhões.

No caso do BNDES  foi autorizada renegociação de débito de R$ 341.251,86, referente a dois contratos, um do Programa de Apoio ao Investimento dos Estados e o Programa Emergencial de Financiamento.

Solicitaram a renegociação os estados do Acre, Alagoas, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe. 

A renegociação se dá no âmbito da Lei Complementar nº 156/2016, resultado do Acordo Federativo celebrado entre a União e os Estados em 20 de junho de 2016.

Além do alongamento de dívidas com a União, a nova lei complementar prevê a renegociação de linhas de crédito com recursos do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento) e a adesão ao Novo PAF (Programa de Apoio à Reestruturação e ao Ajuste Fiscal dos Estados).

O prazo legal para o alongamento das dívidas com a União e de linhas de crédito com recursos do BNDES terminou em 23 de dezembro.

Em contrapartida ao alongamento da dívida com a União, a lei complementar previu que os Estados instituíssem um teto para as despesas primárias correntes por dois anos. 

principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
20/07/2018 - 11:01  Setor mais impactado pelo tabelamento de fretes é agronegócio
18/07/2018 - 10:44  Conta de luz do sul-mato-grossense pode ter aumento de até 20% no próximo ano
08/06/2018 - 11:21  Contribuintes podem consultar 1º lote do Imposto de Renda 2018
06/06/2018 - 09:41  Exportações aumentaram 6,9% no mês de maio em Mato Grosso do Sul
05/06/2018 - 14:13  MS tem 758 mil inadimplentes e ação busca reduzir débito
22/05/2018 - 11:52  Petrobras anuncia redução do preço do diesel e da gasolina a partir de quarta
15/05/2018 - 15:06  Pão francês vai ficar 10% mais caro em Mato Grosso do Sul
14/05/2018 - 08:44  Copom anuncia que taxa selic terá nova queda do índice
14/05/2018 - 08:39  Inclusão no Cadastro Positivo pode injetar R$ 20 bilhões em MS
11/05/2018 - 09:37  Mercado registra primeira queda do ano, 4% nas vendas de carne bovina
10/05/2018 - 09:41  PIB Industrial deve ter aumento e setor afirma que "recessão ficou para trás"
09/05/2018 - 14:43  Petrobras confirma venda de fábrica do Estado para grupo russo
09/05/2018 - 11:48  Brasil é o 2º melhor destino para investimentos
09/05/2018 - 09:59  Produção industrial cai em 8 dos 15 locais pesquisados em março pelo IBGE
08/05/2018 - 09:38  Homem que matou auxiliar de pedreiro no centro da Capital é preso
08/05/2018 - 09:38  Receita Federal libera consulta a lote residual do Imposto de Renda
08/05/2018 - 08:57  Petrobras tem lucro de R$ 6,9 bilhões no 1º trimestre, alta de 56%
07/05/2018 - 08:49  Rumo investirá R$ 4,7 bilhões em malha paulista e beneficiará MS
07/05/2018 - 08:43  Saiba dicas sobre previdência e qual a hora de investir
04/05/2018 - 09:40  Produção de cana em Mato Grosso do Sul surpreende e avança 5,1%
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE