PUBLICIDADE
Policial
Noticia de: 09 de Agosto de 2018 - 16:02
Número de mortes violentas cai, apesar de guerra na fronteira e entre facções



 
 

Carro metralhado no centro de Pedro Juan Caballero; submundo do crime em guerra constante. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

 
 

Narcotraficantes e líderes de facções criminosas travam guerra pelo domínio na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai e patrocinam execuções de rivais em Campo Grande, mas nas estatísticas, as mortes violentas tiveram redução de 10,2% em Mato Grosso do Sul entre 2016 e 2017. Os dados aparecem em levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, organização de pesquisadores da área que compila dados de secretarias estaduais de segurança e das polícias Civil e Militar de todos os estados.

O critério para a soma de mortes violentas inclui homicídios dolosos, latrocínios, lesões corporais seguidas de morte, mortes de policiais em confrontos e mortes decorrentes de intervenções policiais.

As mortes violentas em Mato Grosso do Sul caíram de 622 em 2016, para 565 em 2017. Em Campo Grande, os registros também permaneceram em queda, de 162 em 2016, para 120 em 2017, variação de -26,8%.

Segundo o fórum, o conceito é considerado um indicador mais avançado para medir a violência no país em relação somente aos homicídios dolosos, por exemplo, comumente divulgados por estados. O somatório de mortes violentas é feito desde 2013 —por isso, não é possível comparar com os balanços dos anos anteriores.

Os estados mais violentos, segundo o 12º Anuário Brasileiro de Segurança Pública divulgado nesta quinta-feira (9), são Rio Grande do Norte, Acre e Ceará.

 

Guerra na fronteira - A constatação considera exatamente o ano em que, depois da execução de Jorge Rafaat Toumani, no Centro de Pedro Juan Caballero, em 2016, o domínio de facções passou a aterrorizar a fronteira sul-mato-grossense. As execuções à luz do dia, que sempre existiram na divisa entre as duas cidades, passaram a ser mais frequentes.

Rafaat era empresário respeitado do lado paraguaio, mas estava condenado no Brasil por tráfico internacional e na fronteira era conhecido como o "chefão" do crime organizado e, até então, intocável. O assassinato foi uma espécie de "estopim" para briga por território.

Confira o gráfico:

(Arte: Ricardo Oliveira)(Arte: Ricardo Oliveira)
Fonte /Campo Grande News

principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
17/12/2018 - 08:31  Traficante carioca preso no Paraguai é expulso para o Brasil
13/12/2018 - 11:02  Polícia Rodoviária apreende 2,5 toneladas de maconha
13/12/2018 - 09:06  Em nova fase de operação, PF mira desvio de R$ 13 mi no Ministério do Trabalho
11/12/2018 - 13:52  Homem invade missa, mata quatro e comete suicídio na Catedral de Campinas
11/12/2018 - 09:06  Ex-contador da prefeitura de Dourados é preso em nova ação do Ministério Público
11/12/2018 - 08:41  Motorista é preso transportando 83,5 quilos de cocaína e armas com os filhos
11/12/2018 - 08:39  Operação que tem Aécio como alvo cumpre mandados em MS
11/12/2018 - 08:38  PF cumpre mandados em MS em ação contra senadores e deputados corruptos
11/12/2018 - 07:45  Com alvos em MS, PF faz operação envolvendo políticos e empresários
10/12/2018 - 09:55  Homem tenta abusar de menor e é preso pela PM de Dois Irmãos do Buriti.
07/12/2018 - 08:55  Acidentes nas rodovias federais mataram 162 pessoas em MS
06/12/2018 - 14:20  Identificado suspeito que morreu em troca de tiros com a polícia
06/12/2018 - 10:35  Espancada por colegas de escola, criança morre 7 dias depois em hospital
06/12/2018 - 09:48  Matança continua na fronteira: ferido a tiros, homem morre no hospital
06/12/2018 - 09:08  Homem foi morto em confronto, depois de atirar em vítima que havia roubado
06/12/2018 - 07:51  Blazer usada em atentado a sobrinho de traficante é achada queimada
06/12/2018 - 07:50  Golpista é presa no Carandá em mais um desdobramento da Ouro de Ofir
06/12/2018 - 07:46  Ação que prendeu vereadores investiga pagamento de propina por empresas
04/12/2018 - 09:15  Família de MS preparava carro para levar munições e armas ao RJ
04/12/2018 - 09:15  Dois pistoleiros brasileiros são presos por morte de paraguaia na fronteira
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE