PUBLICIDADE
Geral
Noticia de: 11 de Julho de 2019 - 11:17
Quasar Cia de Dança leva a Bonito espetáculo inspirado na Bossa Nova



 
 

“Um espetáculo essencialmente brasileiro”. É assim que o diretor e coreógrafo Henrique Rodovalho, da Quasar Cia. de Dança, define “O que ainda guardo”, espetáculo inspirado na Bossa Nova, que será durante o XX Festival de Inverno de Bonito, no dia 27, às 19 horas, no Palco da Praça.

A apresentação ainda traz elementos que falam sobre os 30 anos de existência da Quasar e suas características marcantes. “Estilo do movimento, o humor e a leveza na dança. O que nos faz sermos reconhecidos e admirados até hoje por onde nos apresentamos”, comenta Rodovalho.

Os 30 anos da Quasar coincidem com os 60 anos da Bossa Nova. A encenação não guarda um relato linear. “As letras das canções de Bossa Nova foram pontos-chave para que um tipo de movimento se arquitetasse entre coreógrafo e intérpretes. Os temas abordados pelos compositores, muitos deles singelos e ligados a um cotidiano ingênuo e pueril, na trilha sonora são cantados como se fossem conversas entre amigos. A maneira coloquial de fazer poesia inspirou um tipo de movimentação que permeia toda obra. A partir daí o espetáculo foi se revelando como um diálogo provocativo e nada previsível, entre temas, canções e coreografias”, explica Henrique.

Estas canções da Bossa Nova, nascidas de encontros entre compositores da Zona Sul do Rio de Janeiro, ao completar 60 anos, tornaram-se admiráveis em todas as partes do mundo, e só isso já bastaria para serem desafiadoras a qualquer coreógrafo. “Unindo-se a isto a memória emotiva que cada uma das letras e notas deste cancioneiro provoca, é tarefa vigorosa produzir movimentos que desabrochem em novos significados e sentidos”.

Para desenhar um panorama da bossa nova, o cenário traz a silhueta da cidade do Rio e a trilha sonora navega da Era do Rádio ao fenômeno global que se tornou o ritmo carioca. Inclui ainda uma provocação para o preço da fama: “Garota de Ipanema” vira música de elevador. Há uma gama de canções mais e menos conhecidas em versões instrumentais ou interpretadas por vozes como as de Cauby Peixoto e Caetano Veloso. “Uma dança para cantarmos juntos”, diz Rodovalho.

É um trabalho que antes de ter sido iniciado suscitou diversos questionamentos, “principalmente sobre como a música move a dança da Quasar, e sobre como é possível traduzir uma obra musical tão própria em um espetáculo cênico instigante e hodierno”. “Em resumo, a busca foi continuamente por produzir um resultado final sensível, belo, fascinante, pleno em sua forma e em sua importância para o mundo das artes”.

O espetáculo “O que ainda guardo” marca a volta das atividades da Companhia em 2018, depois de uma paralisação 2016 por falta de patrocínio. Rodovalho está seguro de que o intervalo serviu para fazer mais do que um balanço geral ou projetar o futuro, permitiu se situar diante de incertezas. “Quando se faz 30 anos de carreira, descobre-se que não se pode parar”.

A Quasar Cia de Dança surgiu em Goiás, em 1988, e criou um sotaque próprio, delicadamente inspirado nas diversas artes e suas antíteses, criando um mundo visual e comunicacional diagramado em frames e luzes. Movimentos e expressões de dança que sempre surpreendem o público pelo viés de um olhar poético e bem humorado. Uma estética contemporânea arrojada que resulta em coreografias que cativam pelo apuro técnico.

À frente da companhia encontram-se seus fundadores, Vera Bicalho (diretora geral) e Henrique Rodovalho (diretor-artístico e coreógrafo) – ex-bailarinos do Grupo Energia, seu precursor no início dos anos 1980. A Companhia transita com muita singularidade por múltiplas estéticas com recortes e misturas inovadoras da dança que se inter-relacionam com as  diferentes linguagens cênicas, instalações artísticas, multimídias, entre outros suportes e comunicações visuais. Seu principal objetivo é a profissionalização da dança e a formação de um público que melhor contextualize um trabalho que se pauta por uma forte identidade autoral. É o prazer artístico respaldado pelo selo da qualidade.

Serviço: Espetáculo “O que ainda guardo”, da Quasar Cia. De Dança, durante o XX Festival de Inverno de Bonito. Dia 27 de julho de 2019, às 19 horas, no Palco da Praça. Vale a pena conferir!

principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
23/07/2019 - 15:32  PF abre Operação Apagão contra fraude de R$ 26 mi em financiamentos da Caixa
23/07/2019 - 15:31  Na Bahia, Bolsonaro promete não deixar mais obras paradas no País
23/07/2019 - 15:24  Homem é preso por se masturbar em construção e importunar vizinhos
23/07/2019 - 15:13   Homem abre cova no quintal e é preso ao ameaçar enterrar ex-mulher e a mãe dela
23/07/2019 - 15:07  Avó e neto morrem em grave acidente entre S10 e caminhão na 262
23/07/2019 - 15:07  Delcídio não consegue reverter pena e terá que prestar serviços sociais
23/07/2019 - 12:09  Dólar sobe com exterior à espera de corte ameno de juro nos EUA
23/07/2019 - 12:03  MS tem 6 mulheres a cada 10 inscritos no Enem 2019, aponta Inep
23/07/2019 - 12:00  Adolescente morre com cabeça presa em janela ao tentar furtar mercado em MS
23/07/2019 - 12:00  The Fevers, Marcos e Belutti são atrações do Festival do Sobá 2019
23/07/2019 - 11:29  Prévia da inflação fica em 0,09% em julho, diz IBGE
23/07/2019 - 11:11  Detento é encontrado enforcado em cela onde ficam presos do PCC
23/07/2019 - 10:51  Delcídio do Amaral começa prestação de serviços do acordo de delação em 7 dias
23/07/2019 - 10:44  Acabou a festa: PMR apreende 3,4 mil garrafas de cerveja e pinga irregulares
23/07/2019 - 10:11  Bioceânica: pavimentação do Chaco Paraguaio é uma realidade e deverá ser concluída em 2022
23/07/2019 - 10:09  Homem agride ex-mulher grávida e leva botijão de gás da casa dela
23/07/2019 - 10:05  Número de estagiários cresce 13% em MS no primeiro semestre de 2019
23/07/2019 - 09:59  Funcionária de banco suspeita de envolvimento em assaltos é presa
23/07/2019 - 09:57  "Olheiro" do crime organizado morre em confronto com o DOF
23/07/2019 - 09:50  Estúdio fotográfico é condenado por faltar em aniversário de crianças
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE