PUBLICIDADE
Economia
Noticia de: 11 de Janeiro de 2018 - 13:27
Sem correção, defasagem da tabela do IR sobe para 88,4%



 
 

Tiago Queiroz/Estadão Faixa de isenção atual vale para quem ganha até R$ 1.903,98, mas se corrigida, subiria para R$ 3.556,56, diz sindicato

 
 

Mesmo com o processo de queda da inflação, a defasagem da tabela de incidência do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) acumula 88,4% desde 1996, segundo o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional). 

        + ESPECIAL: GUIA DO IMPOSTO DE RENDA

Na prática, isso significa que a faixa de isenção do IR atual que vale para quem ganha até R$ 1.903,98, se corrigida, subiria para R$ 3.556,56.

Todo início de ano o sindicato retoma a pressão para que o governo envie ao Congresso Nacional proposta de correção da tabela pela inflação passada. Em 2016 e 2017, a tabela não foi corrigida.

Com a correção da tabela, a faixa de isenção do IRPF aumenta e os demais contribuintes pagam menos imposto. Em dezembro do ano passado, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, acenou com a possibilidade de correção da tabela e dos benefícios do programa Bolsa Família.

Com a correção da tabela, o governo perde receita. Já com o reajuste do Bolsa Família o governo aumenta despesa, o que é mais difícil de ser administrado por conta do teto de gasto, instrumento que limita o crescimento das despesas. A perda de receita pode ser administrada com o aumento da arrecadação.

O IPCA fechou 2017 com alta 2,95%. De 1996 até hoje, a tabela foi corrigida em 109,63% enquanto a inflação acumulada no período foi de 294,93%, diz estudo do Sindifisco, divulgado hoje.

"O governo achata a renda do trabalhador. Obriga-o a pagar mais imposto, dinheiro que poderia ser mais bem aplicado - na poupança, no aprimoramento da formação educacional, no consumo etc.", criticou Cláudio Damasceno, presidente do Sindifisco Nacional.

Segundo o Sindifisco, a falta de correção não afeta somente o trabalhador de menor salário, mas todas as demais faixas salariais. "O prejuízo do contribuinte não ficou maior porque o IPCA de 2017 foi um dos mais baixos em quase 20 anos", alertou Damasceno.

principal  |  voltar  |  imprimir

Últimas Noticias

.
18/04/2018 - 11:00  Vendas de combustíveis caem até 30% nos postos do Estado
16/04/2018 - 13:00  Após 2 altas semanais seguidas, preço médio da gasolina tem leve recuo, aponta ANP
16/04/2018 - 11:00  Empreendedorismo deve gerar metade das vagas de trabalho no país este ano, diz pesquisa
16/04/2018 - 09:51  'Prévia' do PIB do Banco Central tem alta de 0,09% em fevereiro
16/04/2018 - 09:34  Caixa anuncia redução de juros e aumento do valor financiado para a casa própria
16/04/2018 - 09:34  Obras de pequeno porte puxam retomada da construção civil
13/04/2018 - 09:30  Governo propõe salário mínimo de R$ 1.002 para o próximo ano
12/04/2018 - 10:22  Vendas do varejo caem 0,2% em fevereiro, aponta IBGE
09/04/2018 - 11:05  Preço médio da gasolina sobe pela 2ª semana seguida e vai a R$ 4,217, aponta ANP
03/04/2018 - 10:40  Produção volta a subir em fevereiro e indústria tem melhor 1º bimestre desde 2011
03/04/2018 - 09:57  Tarifa de luz deve subir 10,6% para clientes de Mato Grosso do Sul
02/04/2018 - 10:20  Grupo JBS ignora crise e dobra lucratividade em 2017
27/03/2018 - 13:10  Faltando pouco mais de 1 mês para fim do prazo, 20% já declararam IR
23/03/2018 - 12:47  Gasto de brasileiros no exterior soma US$ 1,4 bilhão em fevereiro, maior valor para o mês em 3 anos
19/03/2018 - 11:02  Mercado financeiro espera que inflação feche o ano em 3,63%
14/03/2018 - 09:14  MS deve ter 7ª maior renda agropecuária do País, de R$ 28,2 bi
13/03/2018 - 11:06  Malha fina: 16 erros mais comuns - e que você pode evitar - na declaração do imposto de renda
13/03/2018 - 10:12  Vendas do varejo avançam 0,9% em janeiro, diz IBGE
06/03/2018 - 16:05  Saques da poupança superam depósitos em R$ 708 milhões em fevereiro
06/03/2018 - 12:00  Produção de veículos sobe 6,2% em fevereiro, diz Anfavea
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE